Refração e Lentes de Contato
Refração e Lentes de Contato

Refração

A refração considera a mudança de trajeto (desvio) que sofre um raio luminoso ao passar de um meio óptico para outro. Os raios que entram no olho sofrem estes desvios, a partir da córnea, passando pelo aquoso, cristalino e vítreo, até chegar à retina.

Se o foco não se faz na retina de modo natural, precisamos promover a correção óptica, que é a procura da lente que vai ser posta junto ao olho, ajudando a colocar o foco na retina, isto é o que chamamos teste de refração ou exame do grau.

Os tipos de graus podem ser miopia (dificuldade para longe), hipermetropia (maior dificuldade para perto), astigmatismo (distorção na imagem) e presbiopia (vista cansada). A correção desses distúrbios de refração (miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia) pode ser feita com óculos, lentes de contato ou cirurgia.

Lentes de Contato

As lentes de contato são colocadas diante da córnea e podem ser de diferentes materiais. Os mais comuns compõem lentes gelatinosas e rígidas. As mesmas possuem três finalidades: correção óptica (do grau), substituindo os óculos, terapêutica (cicatrização da córnea) e cosmética (lentes coloridas).

Há lentes rígidas gás-permeáveis e as hidrofílicas, conhecidas como gelatinosas.

Portadores de miopia e hipermetropia têm correção com as lentes esféricas. Lentes tóricas para o astigmatismo e lentes multifocais para vista cansada.

Novas gerações de materiais das lentes como silicone-hidrogel permitem oxigenar a córnea 3 vezes mais que as hidrofílicas e as lentes híbridas, indicadas para córneas assimétricas, principalmente no caso de ceratocone.

A adaptação de lentes de contato é um ato médico, agora regulamentado pelo CFM (Conselho Federal de Medicina) com o intuito de evitar casos de adaptação realizados por leigos e, consequentemente, erros na adaptação, que levam a complicações corneanas.

Também existem as adaptações de lentes especiais, como: Lente de Contato Escleral e Planex.

Siga o HVISÃO nas redes sociais